Movimento cria site para auxiliar MEC contra fraudes a estudantes alagoanos

Em Alagoas, secretário de Regulação do Ensino Superior identifica irregularidades e anuncia que vai analisar caso a caso
São estimados em mais de 20 mil os estudantes alagoanos enganados por uma dezena de faculdades que se afirmavam credenciadas pelo Ministério da Educação (MEC). A fraude descoberta em Pernambuco, anos atrás, ainda continua ocorrendo pelo interior de Alagoas.
Para identificar os casos e auxiliar o MEC a identificar os casos e solucionar o problema dos alunos, o Movimento Diploma Legal criou um site para que os alunos se inscrevam com as documentações necessárias. O objetivo do movimento é levar de forma organizada todo este material ao ministério.
A proposta já ganhou a adesão de importantes aliados, o próprio MEC via a Secretaria Nacional de Regulação e Supervisão do Ensino Superior e da Federação Nacional dos Órgãos de Defesa do Consumidor. O secretário nacional do MEC, Henrique Sartori, esteve nesta terça-feira em Palmeira dos Índios para conversar com os alunos e anunciar uma força-tarefa.
Sartori confirmou aos alunos que já foram encontradas irregularidades em vários dos casos apresentados. “O MEC vem tomado uma atitude bastante ativa com relação aos crimes praticados como a oferta irregular de cursos e a emissão de diplomas por instituições que se dizem credenciadas e que, na verdade, não estão”.
Ele reforçou o papel da sociedade civil organizada nesta busca pela solução. “Quando o líder do Movimento Diploma Legal, João Catunda, esteve em Brasília para pedir que nós, do Ministério, encontrássemos uma solução para esta situação, eu pedi que fosse criada uma força-tarefa. Vamos receber tudo que o movimento unir de documentação e analisar caso a caso”, afirmou o secretário nacional.
O Movimento
O líder do Movimento Diploma Legal, João Catunda, pediu aos representantes do MEC que encontre uma solução para milhares de estudantes. “São mais de 20 mil vítimas destes golpistas. Queremos que o ministério entenda que os estudantes foram enganados e gastaram tempo e dinheiro para conseguir um certificado de ensino superior”.
João Catunda criou um site para que os estudantes se inscrevam, o www.diplomalegal.com.br. Nele, os alunos vão dar informações sobre sua situação e conferir se o seu certificado está valendo. Os que estiverem irregulares vão receber apoio do movimento para buscar sua regularização.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *