O Movimento iniciou sua trajetória com professores e líderes da Sociedade civil buscando identificar alunos em diversos pólos, conscientizando-os da importância de se fazerem cientes do equívoco que é investir em Instituições ou Empresas que “vendem sonhos”, sem que possam cumprir legalmente com o objetivo final almejado – um DIPLOMA de graduação.
O líder do movimento, ladeado por membros do Movimento, têm feito uma verdadeira peregrinação junto aos órgãos de proteção ao crédito, bem assim, junto a Secretária de Regulação do Ensino Superior – SERES, encontrando, sempre, o apoio e respaldo para continuidade de tal luta em favor de milhares de “diplomados” e “diplomandos”, sempre cheios de esperança e fé no desejo de verem concretizados os seus sonhos.
O ponto alto se deu nos dias 07 e 08 de maio quando da visita e reuniões do Secretário da SERES/MEC, Dr. Henrique Sartori que veio, exclusivamente, sentir o problema “in loco”.

No dia 07 de maio, na Capital do Estado, reunido com o Presidente do Sindicato dos estabelecimentos de Ensino Superior, Prof. Mario César Jucá, foi ouvido e se fez ouvir pelas diversas Instituições, devidamente legalizadas, chegando-se a conclusão que todas deveriam e dispostas estão em buscarem meios para que tais diplomas não sejam perdidos e que o problema seja sanado, sem abrir mão, aqueles que foram lesados, de buscar a justa indenização do que lhe é de direito.
Já no dia 08 de maio, no Auditório do IFAL, centenas de alunos estiveram presentes, ouviram o Secretário Nacional, lideranças, professores e Dirigentes de IES, ficando claro que o objetivo não “é cassar diploma, mas regulariza-lo de forma que se possa atender aos anseios dos alunos.
Segue-se, de imediato, a necessidade de um Cadastro de da busca de uma solução onde todos os interessados cheguem a bom termo, tendo um agente centralizador para o movimento!